“Onde está a felicidade?”, romance de Camilo Castelo Branco

Laís Azevedo

Camilo Castelo Branco,autor romântico, foi um dos escritores portugueses, pertencente ao século XIX, que mais escreveu obras literárias. Para se ter uma ideia dessa enorme produção, a Lello Editores publicou, de 1982 até o ano de 2003, toda obra do escritor que está reunida em dezoito volumes.

Publicado em 1856, Onde está a felicidade traz à tona um trio de personagens muito interessantes. Uma delas é Augusta, uma jovem costureira que desperta em Guilherme do Amaral, um rapaz rico, uma paixão ardente. Uma outra personagem é um jornalista que escreve folhetins e poemas.

Tudo começa com a história de um português usurário que, durante a invasão francesa nas terras portuguesas em 1912, resolve enterrar a fortuna que possui em sua casa, para, em seguida, fugir de Portugal. Porém, durante a escapada, ele é morto pelo exercíto francês.

Anos depois, Augusta, uma pobre costureira, passa a habitar a casa que fora do rico homem. Numa noite, após a morte da mãe, ela encontra com Guilherme do Amaral, que ao ver o desespero da moça, resolve ajudá-la. Encantado pela beleza de Augusta, o rapaz não mede esforços para conquistá-la. A jovem, que também passa a amar Guilherme, acaba, pois, cedendo e se torna a amante do rico rapaz. E, é a partir desse evento que as principais ações do romance se desencadeiam.

O narrador camiliano de Onde está a felicidade? é um moralista dos mais incisivos. No decurso do romance, aponta para os leitores, através dos julgamentos que tece a partir das atitudes das personagens, o que enobrece o homem. Guilherme do Amaral é uma das personagens, que devido às más ações, está sempre sendo julgada pelo narrador, o qual sente-se bastante incomodado com a obsessão do rapaz por romances. Segundo o narrador, as obras romanescas levam as pessoas a cometerem atitudes descontroladas. Essa característica metalinguística, que permeia a obra, dá um toque especial ao romance, haja vista que o narrador cita, a todo momento, personagens doutros romances, não somente portugueses, mas também franceses, ingleses, etc.

O romance de Camilo Castelo Branco expõe o clássico enredo dum pobre honrado, representado por Augusta, que passa por todo tipo de provação para alcançar um final feliz. Já Guilherme do Amaral representa o rico que pagará por sua soberba.

Onde está a felicidade? é um romance ágil, com bons diálogos e poucas descrições. A obra agradará, em especial, os leitores que gostam da prosa romântica do século XIX. Apesar de contar com personagens pouco complexas, o livro possui um enrendo (característica principal dos folhetins da época) que prendem do início ao fim. E, para aqueles que gostarem do romance, há outras duas obras que demonstram o que aconteceram com as personagens, Memórias de Guilherme do Amaral e Um homem de brios.

Deixe um comentário!